9 de janeiro de 2007

Mais um percurso...

Hoje pensei o medo. Mas não tive medo. O que é a posse?

Pensando o medo esbarrei no limite. Não no limite do medo, mas no limite que faz o medo ser o percurso entre o princípio de uma certeza e a fragilidade de sua extinção.

Agradecimentos ao meu amigo Branco.

3 comentários:

Poemas e Cotidiano disse...

Meu amigo!
Mudei de computador, e com isso, mudou tudo... estou acompanhando tudo de uma forma lenta, para colocar todas as informacoes no meu novo...
Estava lendo do medo (gostei do novo jeito do seu Blog!) e estava pensando, como o MEDO nos move, nos paralisa, como ele influencia nossa vida.
Depois vou clicar no "Branco" para ler, e vou ler melhor o seu Blog e comentar, ta?
Um beijo
Mary

Poemas e Cotidiano disse...

PS: Digo comentar como gosto, e nao somente por "comentar", mas lendo....de verdade.
Um beijo!

"(O) Branco" disse...

Salve!
Toda a honra de figurar aqui..
Abração, meu amigo!