4 de abril de 2007

Nada além do repetido...

Na tentativa de dizer o novo, refaz-se a mesmice do vício tautológico. O sujeito é buscado neuroticamente em curvas infinitas de cegueira metafísica... é preciso retirar o véu...


Tautologia

Silenciando o sol,
ao meio-dia
o furor.

Em formas que fundem
livros desmentidos...
o pleonasmo da boca saltou.

Fábio Santana

3 comentários:

Felipe Forain disse...

E aí Fabio!!!!

Criei um blog também, passa lá quando der, e adiciona ao seu (eu ainda não sei como fazer isso!)

É isso aí, kra, abração!

Felipe Forain disse...

Eita! deixei o link certo?? hwahahaha!

http://eoutrashistorias.blogspot.com

Vai de novo, pela dúvida!

abração!

Jussara Moumont disse...

Ah se toda tautologia fosse assim. Isso não é repetição, é busca.
Que bom podermos tautologiar. Putz, conjuga esse verbo aí...
Adicioná-lo-ei em meu bloguim.
vlw